assistencia card comercial departamento especialista insta retire user atendimento cart contato email face left rigth busca cliente corporativo enviar in mercado twitter computadores componentes seguranaa network automacao impressora suprimentos armazenamento energia telefonia audio video mouse cabo suporte acessorios ferramentas gamer baixo close seta juros boleto shopping-listß personalizado home
29/08/2019

Trocar o roteador ou comprar repetidores? Como dimensionar a rede da sua residência.

Seu plano de internet é muito bom? Seu computador é de última geração, sua smart TV também, assim como seu tablet, smartphone e outros aparelhos conectados à internet? No entanto, o sinal nunca está como deveria, ou em alguns locais da casa ele é mais forte e em outros quase não aparece? Essa é uma situação bastante comum, o que faz muitas pessoas entrarem imediatamente em contato com o seu provedor de internet, apostando que a entrega do pacote não está sendo como deveria. No entanto, muitas vezes esse problema pode ser solucionado com uma das três opções a seguir: posicionar melhor o roteador, comprar repetidores ou trocar o roteador. E isso pode estar relacionado unicamente à estrutura da sua residência.

Vale lembrar que muitos dos modems e roteadores Wi-Fi oferecidos pelas prestadoras de serviços de comunicação têm um uso bastante limitado. Eles atendem bem a maior parte dos perfis dos usuários, mas os que necessitam de uma configuração um pouco mais avançada podem precisar investir em um equipamento próprio e mais robusto.

Vamos ajudá-lo, neste post, a decidir qual é a melhor maneira de solucionar seu problema, entre as três alternativas citadas. Acompanhe!

 

Como identificar a causa do problema

Antes de mais nada, é preciso identificar que realmente o seu problema é o sinal fraco e não a internet lenta em sua origem. Para isso, pode-se fazer um teste de velocidade na internet ou mesmo entrar em contato com a sua operadora. Entretanto, são necessárias algumas ações antes de verificar a velocidade da conexão.

A primeira delas: deixe na rede só o dispositivo que será usado para fazer o teste. Mesmo que outros aparentem estar inativos, se não estiverem desconectados de fato podem gerar tráfego e isso interferirá no resultado final.

Além disso, utilize um serviço confiável e reconhecido para analisar quantos bits por segundo estão saindo ou entrando da sua rede. Plataformas mais populares geralmente oferecem bons métodos de medição do que outros sites que acabam sobrecarregando o tráfego com muitos anúncios.

Feito isso, partimos para a próxima ação, que é identificar o formato do local onde você está tentando acessar a internet. Sua casa é grande, mas sem muitos obstáculos? Ou menor, mas com muitas paredes grossas e eletrodomésticos, que podem interferir na propagação do sinal? Identificada a estrutura, vamos direto às soluções.

 

Solução 1: posicionar melhor o roteador

Se sua casa for pequena, com poucos obstáculos, antes de trocar o roteador, tente posicioná-lo melhor. O ideal é que ele fique mais centralizado dentro da sua residência. As antenas dos roteadores são omnidirecionais, ou seja, distribuem o sinal em todas as direções. Portanto, quanto mais centralizado, mais uniformemente o Wi-Fi será distribuído. Apostar em locais altos também faz diferença, porque eles ajudam a irradiação dos sinais.

A posição da antena também vai interferir na distribuição do sinal. A melhor posição normalmente é a reta e para cima, distribuindo o sinal horizontalmente. Porém, no caso de um local com dois andares, por exemplo, o ideal é manter a antena na horizontal para que as ondas se propaguem verticalmente. Mas o mais importante é verificar a orientação do fabricante no manual de instruções; lá é que você encontrará as especificações do projeto do seu produto.

Como muitos eletrônicos utilizam a mesma frequência, de 2,4 GHz, é preciso que o roteador fique distante de micro-ondas, babás eletrônicas e caixas de som bluetooth, por exemplo. Outra dica é deixá-lo em uma posição onde menos paredes precisarão ser ultrapassadas, como em cantos da casa próximo a corredores.

 

Solução 2: comprar repetidores

Enquanto o roteador encaminha e organiza os pacotes de dados entre redes, o repetidor pega o sinal que já existe, emitido pelo roteador, e o repete. Ele utiliza os dados da rede que está repetindo e encaminha para os dispositivos conectados, ampliando assim a área de cobertura.

Essa solução é mais aconselhada quando uma residência possui muitos obstáculos, como móveis grandes ou paredes muito grossas ou mesmo a interferência de muitos aparelhos eletrônicos, não permitindo que o sinal chegue a determinado cômodo (ou mais de um). Neste caso, trocar o roteador não funcionaria, pois continuaria existindo um ponto cego. O ideal então seria instalar o repetidor, ou os repetidores, nos locais onde o sinal primário começa a falhar.

Essa solução ajuda, mas deve ser analisada com cuidado. Como os repetidores funcionam como “pontes” entre a rede principal e os dispositivos, é normal que o desempenho caia. Quanto mais repetidores forem instalados, menor pode ser a velocidade.

Em situações em o usuário deseje solucionar definitivamente os problemas de conexão, a recomendação é que ele invista nas redes Mesh. Elas têm um conceito técnico diferente e maior capacidade de ampliação.

Funcionando como uma malha, elas são mais automatizadas — a própria rede Wi-Fi distribui o sinal conforme as áreas onde há mais demanda — e têm melhores velocidade e cobertura. Isso elimina as chamadas “zonas mortas” (áreas de sombra) que não têm sinal. Isso também permite que o usuário circule pelo ambiente de modo que a conexão se mantenha ao migrar de uma antena para outra.

 

Solução 3: trocar o roteador

Sua residência é grande? Você já checou com sua operadora e ela está entregando a velocidade prometida, mas seus dispositivos ainda estão com problemas de sinal? Você já tentou colocar o roteador em um local mais apropriado, sem obstáculos e não resolveu? Então, o seu roteador pode realmente ter ficado obsoleto. E essa é a hora de trocar o roteador.

Uma residência maior necessita de um roteador wireless mais robusto, ainda mais se vários dispositivos se conectam à internet ao mesmo tempo. A escolha do roteador vai depender de alguns fatores, sendo os principais: velocidade da internet, velocidade de transmissão do roteador, tamanho do ambiente e número de dispositivos conectados.

Existem roteadores dos mais variados valores e potências, e é preciso saber exatamente o que você está buscando para não comprar um equipamento muito robusto (e de valor mais alto) sem necessidade, ou um equipamento de valor mais baixo mas que não tenha a performance de que você precisa. Uma sugestão são os roteadores da com a tecnologia AC, que operam em duas faixas de frequência (2,4 GHz e 5 GHz) e ampliam a possibilidade de conexão com diversos tipos de dispositivo.